Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

16 de abril de 2017

A Páscoa e a sua verdadeira essência

  
  A imagem em tela mostra a bíblia em pergaminho como era na época de Cristo. Não estou e jamais quero aqui, estabelecer uma divisão entre religiões, mas sim ilustrar os mandamentos cristãos, haja vista que, trata-se da palavra de Deus que é a pedra angular. A base de tudo. Isto posto, Infelizmente á Páscoa, assim como outras datas importantes, tornou-se um meio para se promover o consumo desenfreado e desnecessário. Com isto o foco no verdadeiro sentido da Páscoa, que é a celebração da ressurreição de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo fica desviado e, portanto, o que é tão sagrado é deixado para segundo plano. Fato inadmissível. Costumeiramente, muitos presenteiam familiares e amigos com chocolates. Não tenho nada contra em absoluto, desde que, o principal seja celebrado que é a ressurreição de Cristo. O que me impressiona é ver, que todos os anos a ritualística é a mesma, sem que haja no mínimo um questionamento da existência e da importância da comemoração em pauta. Assistam ao vídeo abaixo, aonde falo um pouco mais a acerca do assunto:



  Não estou aqui, para defender este ou aquele credo religioso, mas sim para incitar as pessoas a pensarem, raciocinarem sobre o sentido das coisas. A Páscoa é um momento para profunda reflexão, adoração a Deus, respeito não a doutrinas de homens, mas sim ao que reza a palavra de Deus no que refere-se aos mandamentos, pois observo que atitudes que dizem respeito ao amor têm ficado mais escassas e a semana santa por mais sagrada que seja não deixa infelizmente de figurar dentre datas que deixaram de serem comemoradas como se deveria. Na bíblia em Mateus:capítulo 22, verso 37 está o primeiro mandamento: "Amarás ao Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a sua alma e com todo o teu entendimento". Já no verso seguinte, 39, o segundo mandamento: Amarás teu próximo como a ti mesmo. A partir desta base cabe a cada um fazer uma autoanálise e perceber se tem sido capaz de exercer este amor a Deus e ao próximo de maneira incondicional. Sem querer nada em troca, pois esta sim é a essência do amor verdadeiro e a essência da Páscoa. No passado o que se estava em questão transcendia a meros rituais de adoração e a compra de presentes. A semana de páscoa era tratada com o devido respeito e as pessoas tinham um formalismo em razão do entendimento que possuíam sobre a data. Atualmente é algo raro haver isso. O respeito, e não falo aqui de uma convenção estabelecida, mas de um amor genuíno era intrínseco as pessoas. Com o advento da internet, o avanço do capitalismo e o desamor boa parte da humanidade perdeu a conexão com os verdadeiros valores da vida. Não falo de padrões, convenções e nada ligado a regras pré estabelecidas, mas sim de um tempo em que se vivia de verdade, pois havia sentimento e não frieza. 

   Enfim, a conclusão que tenho é a de que o esfriamento tem se proliferado e aumentado na sua intensidade. Como consequência temos tido cada vez mais desamor e indiferença no seio da humanidade. Não adentrarei a questões mais específicas por uma razão óbvia, a ideia em pauta é falar do amor e levá-lo e não gerar uma polêmica desnecessária e improdutiva. Reflitam! Desejo uma feliz Páscoa a todos que acompanham o meu trabalho no Brasil e no mundo!!!


João Luciano Silva da Costa.